Publicador de Conteúdos e Mídias

06.07.20

Klabin exige testes de Covid-19 na cidade de origem dos trabalhadores do Puma II

Protocolo ainda inclui isolamento de uma semana e novo teste antes de o trabalhador entrar na obra

Teste de Covid-19 na cidade de origem, isolamento de sete dias e novo teste antes da liberação para início das atividades profissionais, medição de temperatura diária de todos os trabalhadores, túnel de ozônio na entrada e saída dos canteiros de obras para fazer a higienização das superfícies externas (roupas, sapatos, mochilas e equipamentos de proteção individual). Estes são apenas alguns exemplos das medidas de prevenção que estão sendo adotadas pela Klabin para garantir a saúde e segurança dos trabalhadores do Projeto Puma II e da população em geral das cidades de nossa região.

O protocolo de saúde e segurança adotado pela empresa também se estende aos residenciais onde se hospedam os trabalhadores, aos refeitórios e meios de transporte (ônibus e vans). Ainda está em andamento uma ampla campanha de comunicação para orientar sobre medidas de prevenção ao novo Coronavírus, incluindo rádio exclusiva da obra e envio de mensagens pelo WhatsApp.

 Atualmente, cerca de 80% dos trabalhadores do Projeto Puma II são do Paraná, sendo 60% de Ortigueira, Telêmaco Borba e Imbaú e 20% de outras cidades do estado. Apenas 20% da mão de obra é de outros estados.

A obra foi paralisada no dia 23 de março, no começo da pandemia, quando os trabalhadores foram colocados em licença remunerada em função da ausência de diretrizes claras sobre as medidas de prevenção e combate à disseminação do vírus. No entanto, após a implantação de protocolos pelos governos estaduais e municipais, foi iniciada, em 16 de abril, a retomada gradual das obras somente com trabalhadores da região. A partir daí, tem ocorrido a mobilização dos trabalhadores de fora, aos poucos e sempre em alinhamento com o Comitê Intersetorial de Enfrentamento à Covid-19, formado pela Secretaria de Saúde de Telêmaco Borba, 21ª Regional de Saúde, Klabin, hospitais Moura e Instituto Dr. Feitosa, e com a Prefeitura de Ortigueira. A continuidade das atividades está estabelecida nos decretos estadual e municipais de Ortigueira e Telêmaco Borba, que entendem os ‘setores industriais e construção civil’ como essenciais.

Isolamento e testagem de trabalhadores

 Para quem vem de outras cidades e regiões, o isolamento e a testagem para COVID-19 são regra. O protocolo prevê que esses trabalhadores sejam testados no seu local de origem, antes de viajarem. Após chegar ao local de destino, cumprem isolamento de sete dias e, ao final do período, fazem um novo teste antes de iniciar o trabalho. Essas medidas têm o objetivo de garantir que os trabalhadores não estejam infectados.  

Durante o período de isolamento, os profissionais contam com o suporte da Klabin e das empresas contratadas, e recebem orientações constantes das equipes de saúde. Além disso, todos permanecem em observação e, caso algum funcionário apresente qualquer sintoma de gripe ou doença respiratória, é colocado em isolamento individual com acompanhamento médico diário do quadro de saúde. Os possíveis contatos do profissional também são mapeados e colocados em isolamento.

Distanciamento e uso de máscaras aumentam a proteção no transporte

A Klabin e as empresas contratadas distribuíram máscaras de segurança para todos os trabalhadores. O uso é obrigatório dentro do Projeto, tanto no canteiro de obras como nos escritórios.

Nos ônibus e vans de trabalhadores o distanciamento foi implementado para que trafeguem com metade de sua capacidade normal. Todos os veículos possuem álcool em gel e mantêm ventilação apropriada. Além disso, o uso de máscaras é obrigatório para motoristas e passageiros e as vans e ônibus passam por higienizações diárias durante os intervalos de transporte, contando com lava-pés para os calçados.

Nas portarias de acesso ao Projeto Puma II, as catracas e salas de atendimento são higienizadas periodicamente e os trabalhadores obedecem às sinalizações e orientações de distanciamento. Todas as pessoas que ingressam pelas portarias têm sua temperatura aferida por meio de câmeras térmicas ou termômetros eletrônicos. Além disso, como medida adicional aos protocolos de saúde e segurança, na entrada e na saída do expediente os trabalhadores passam por um túnel de ozônio para desinfecção de superfícies externas como roupas, mochilas e calçados.

Refeições individualizadas

Nos refeitórios da obra, as refeições são embaladas individualmente. Na entrada, os trabalhadores são orientados a lavar as mãos e manter o distanciamento de um metro e meio nas filas. Os horários de almoço foram estendidos e cada refeitório recebe apenas metade da sua capacidade. Na hora da refeição, adesivos nas mesas indicam onde sentar e reforçam as regras de distanciamento.

Fale com a Klabin

As medidas implementadas estão em linha com os padrões de saúde e segurança recomendados pela Organização Mundial de Saúde, também adotadas pelas unidades florestal e industrial da Klabin. As ações cumprem rigorosamente as recomendações sanitárias, de higienização, regras de transporte, distanciamento social e demais orientações da OMS na prevenção ao Coronavírus.

A Klabin mantém os seus canais de comunicação à disposição para o esclarecimento de dúvidas e reforça o seu compromisso com a transparência, a saúde e o bem-estar de todos.

Telefone: 0800-728-0607 ou pelo e-mail faleklabinpr@klabin.com.br